sábado, 9 de fevereiro de 2013

Dilma e Lula, a guerra está declarada




Images (45)
Eu acho que Lula estava sendo honesto quando dizia que iria ser Palestrante dali para frente, e que assistiria a Copa do Mundo como espectador e não como Presidente no Terceiro Mandato. 
Infelizmente, duas coisas aconteceram.
Não se entusiasmou com a profissão de Palestrante. Compreensível. E sente-se muito jovem para ficar escrevendo livros de memórias. 
Segundo, o seu câncer lhe trouxe a visão de finitude e a necessidade de que falta agora tempo para fazer tudo o que queria, neste caso para o Brasil.
Foi o mesmo câncer que fez Jobs lançar tudo o que sonhava e fez a Apple dar o salto quântico que deu.
Lula talvez agora pense no terceiro mandato, e por isto mexe os pauzinhos do governo Dilma.
Só que Dilma também tinha um sonho, que não era o bem do Brasil, como todos imaginam.

A agenda dela é a inserção da Mulher, e ela está percebendo que seu governo não está indo bem em termos de Economia, e se continuar assim teme que nenhuma mulher será eleita novamente.
Uma das razões deste fracasso é o Lula, a outra é o José Dirceu.
Nenhum empresário acerta algo com a Dilma, sem conversar antes com o Lula e o José Dirceu, separadamente.
Sabem que sem a benção dos dois o projeto não andará, mesmo sendo aprovado pela Dilma. O Brasil tem 200 órgão aprovadores, reguladores e fiscalizadores, com centenas de indicados pelos dois. A benção dos três, mais governador e prefeito é essencial para qualquer projeto novo no Brasil.
Por isto, este país está totalmente parado em termos de investimentos, apesar do custo de capital baixo, conseguido a duras penas pela Dilma.
São poucos os projetos que agradam Lula, Dirceu, Governador e Prefeito e a Dilma ao mesmo tempo. Aliás, as chances são zero.
Recentemente ela fez um pronunciamento contra o Terceiro Mandato de Lula, que ninguém até agora percebeu.
Ela disse que está procurando Ministros nesta sua próxima reforma Ministerial que estejam dispostos a ficar seis anos. (E não dois.)
Com esta Lula não esperava. A guerra está declarada. A agenda Mulher da Dilma vem primeiro. 
Mas nenhum país cresce se todos precisam conversar com três manda chuvas antes de aprovar um projeto.
E os manda chuvas estão agora brigando entre si.
Dilma daqui nove meses, estará em FIM DE MANDATO, e aí ninguém irá obedecê-la de vez, a não ser que fique claro que ela irá se reeleger, e não o Lula.
O nosso PIB está pífio não por razões de Economia, mas por questões Administrativas.
Os poucos administradores de esquerda, que o PT possui, precisam dizer ao Dirceu e ao Lula que eles estão atrapalhando a causa Socialista. Eles tiveram a chance deles, agora é a vez da Mulher. Muito mais importante.
Talvez assim eles ouçam.
Stephen Kanitz

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Edson Lobão e o Ouro retirado do solo no Brasil, nada consta como Reservas do Tesouro Brasileiro?




Lobão e aliados montam esquema para ter domínio sobre o ouro brasileiro de Serra Pelada
Lobão com aval do governo
A exploração do garimpo ganhou força quando Lobão esteve no comando do ministério, de janeiro de 2008 a março de 2010. Com aval do governo, a exploração será feita pela Serra Pelada Companhia de Desenvolvimento Mineral, empresa criada a partir de um contrato entre a desconhecida Colossus Minerals Inc., com sede em Toronto, no Canadá, e a Cooperativa dos Garimpeiros de Serra Pelada (Coomigasp), que reúne 40 mil garimpeiros e detém os direitos sobre a mina.
Dilma e o prejuízo aos garimpeiro nada mudou
Por ordem da Presidência, o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) e o ministério tiveram de firmar um termo de compromisso com a Colossus em que a empresa canadense se compromete a ajustar cláusulas do contrato com potencial de prejuízo aos garimpeiros. Até o fechamento desta edição nada havia mudado.
Lobão atuou para conseguir
Nos bastidores, ainda em 2007, como senador, Lobão atuou para conseguir que o governo federal convencesse a Vale, até então detentora da mina, a transferir à cooperativa seus direitos de exploração de ouro e outros metais nobres em Serra Pelada. A Vale submeteu a proposta a seu conselho de administração, que concordou em atender ao pedido de Brasília e, em fevereiro de 2007 assinou um "termo de anuência" repassando à cooperativa dos garimpeiros o direito de explorar a mina principal.
Governo conivente com a exploração do ouro
Em 2009, já com Lobão ministro, o governo fez nova gestão em favor do negócio e obteve da Vale os direitos sobre mais 700 hectares de Serra Pelada.
Lobão atuou dentro e fora do governo
Como senador e depois como ministro, Lobão atuou pessoalmente em várias frentes, dentro e fora do governo, para possibilitar o negócio. Primeiro, operou para formalizar a Coomigasp como proprietária do garimpo.
Lobão lançou nova ofensiva para tomar o controle
Controle. Garantido formalmente o direito da Coomigasp de operar no garimpo, Lobão lançou outra ofensiva. Desta vez, para tomar o controle da cooperativa. Num processo conturbado, marcado por ações judiciais e violência, garimpeiros do Maranhão ligados ao ex-ministro conseguiram assumir a Coomigasp.
Lobão e  acordos bombásticos com os concentradores Canadenses
É justamente nessa época que surge a Colossus Minerals Inc., com sede em Toronto, no Canadá. A proposta de contrato com a empresa foi aprovada a toque de caixa pelos associados da cooperativa. Pelo acerto, a Colossus entra com capital e tecnologia e a cooperativa cede seus direitos sobre a mina. Pesquisas autorizadas pelo DNPM indicam haver pelo menos 20 toneladas de ouro no subsolo de Serra Pelada. Geólogos com acesso às sondagens mais recentes afirmam, porém, que a quantidade pode passar de 50 toneladas. 
A Colossus já entrou na sociedade com 51% de participação na nova empresa. A Coomigasp ficou com 49%. Pouco depois, sempre com a anuência dos diretores da cooperativa ligados a Lobão, a Colossus conseguiu ampliar sua participação para 75%. 25 de julho de 2010 | 0h 00. Leonencio Nossa e Rodrigo Rangel - O Estado de S.Paulo

Os concentradores aumentam seu poder durante a depressão econômica e não têm interesse em que ela acabe
Relata  o economista Adriano Benayon em seu artigo Finança mundial:
Novos dados informam que somente cinco bancos têm ativos de  8,5 trilhões de dólares, o equivalente a 56% do PIB dos Estados Unidos: JP Morgan Chase, Goldman Sachs Group, Citigroup, Bank of America e Wells Fargo.Os concentradores aumentam seu poder durante a depressão econômica e não têm interesse em que ela acabe. Paralelamente, como é natural, a demanda por bens e serviços só aumenta através do crédito, formando-se as bolhas, como foi o caso em 2008 da imobiliária nos EUA. O  mundo estaria caminhando para um padrão-ouro de fato, no qual o metal teria peso comparável ao do dólar e do euro. Os concentradores aumentam seu poder durante a depressão econômica e não têm interesse em que ela acabe. Hoje  nos EUA as dívidas dos estudantes ultrapassaram  US$ 1 trilhão, e os saldos devedores dos cartões de crédito chegam a U$ 800 bilhões. O que teria permitido aos Tesouros nacionais dos EUA, e de vários países europeus, por exemplo, sanear as finanças e a economia? O parlamento da Alemanha  retornou ao país seus estoques de ouro guardados nos EUA e na França, havendo dúvidas de se os EUA ainda têm o que oficialmente consta...
Vejam no filme abaixo, como iniciou, e quem controla os bancos, os especuladores e concentradores internacionais, filme interessante, procurem entender, assistindo até o final.

Fontes:
http://mudancaedivergencia.blogspot.com.br/2013/02/financa-mundial.html
http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,lobao-e-aliados-montam-esquema-para-ter-dominio-sobre-serra-pelada,585796,0.htm