domingo, 7 de julho de 2013

Relato de Médica pesquisadora sobre os prejuízos ao organismo decorrente do sexo anal



Brasileiros, saibam, e divulguem a todos os prejuízos que causam a saúde do corpo...

Brasil e Rússia: contraste na propaganda homossexual

Julio Severo
A boa notícia é que em 30 de junho, Vladimir Putin, presidente da Rússia, assinou uma lei que proíbe qualquer ato de propaganda homossexual em presença de menores, com uma multa para os infratores que pode chegar até 1 milhão de rublos (cerca de RS 70 mil).
De acordo com uma pesquisa de opinião realizada pelo instituto Tsiom, 88% dos russos apóiam a lei. Além disso, todas as paradas do orgulho gay, que o ex-prefeito de Moscou Iuri Luzhkov definiu como “obras de Satã” e “armas de destruição de massa,” foram proibidas por cem anos.

SUS: nas mãos da Gaystapo

Em contraste, o Brasil está repleto de propaganda, desinformação e doutrinação homossexual. Pesquisa de entidade ligada ao PT revelou poucos anos atrás que 99% dos brasileiros têm, em menor ou maior grau, posturas contrárias às práticas homossexuais. Mas em vez de respeitar os sentimentos de seu próprio povo e assinar uma lei que, pelo menos, proteja as crianças da nociva propaganda homossexual, Dilma Rousseff empenha-se hoje em terrorismo psicológico contra o povo brasileiro, assinando, por meio de seus ministros, inúmeras leis para facilitar a expansão do supremacismo homossexual em todos os cantos do Brasil.
A mais recente diabrura institucional a favor desse supremacismo é a medida em que o Ministério da Saúde vai tornar, a partir de agosto, obrigatório o registro dos casos de violência por homofobia atendidos na rede pública de saúde (SUS).
Essa medida, que foi lançada em 1 de julho e custará milhões de reais, é um soco na cara de cada brasileiro que paga impostos. Muitos brasileiros estão nas ruas protestando contra a péssima qualidade do SUS, e a resposta sem-vergonha do governo é jogar dinheiro no buraco negro dos ativistas gays.
Então, o funcionário ou médico do SUS, já sobrecarregado de trabalho, terá de encontrar tempo para registrar casos de “homofobia.” Ele deverá questionar pacientes machucados e feridos se são praticantes do homossexualismo. Se a resposta for “sim,” o machucado vira automaticamente prova de crime “homofóbico,” independente se a agressão foi cometida por um amante ou cliente de prostituição do homossexual.
Se o funcionário deixar de fazer os registros, perderá o emprego por “homofobia” e seu caso será computado também como preconceito “homofóbico,” justificando mais intrusões pró-homossexualismo na vida das profissionais de medicina.
Os dados que ele coletar serão usados para a formulação e implementação da agenda gay nas políticas públicas — com um aumento muito maior dos recursos públicos. Isto é, governo e supremacismo fazem a farra com o dinheiro público, e você paga a conta.

Brasil escravo da propaganda gay

Tenho certeza de que, ao assinar a lei que proíbe a propaganda gay na Rússia, Putin está não só fazendo um favor enorme à sua população, mas especialmente respeitando os sentimentos dos russos.
Pena que a prezidenta Dilma Rousseff, que no passado estava envolvida com ações terroristas e queria forçar o Brasil a imitar a Rússia comunista, hoje se distanciou completamente do excelente exemplo russo anti-supremacismo gay e se distanciou mais ainda dos sentimentos de 99% dos brasileiros.
Se dependesse dos brasileiros, Dilma faria exatamente o que Putin fez. Mas não. Por uma fatalidade do destino o povo brasileiro foi escolhido para sofrer terrorismo psicológico pró-homossexualismo do próprio governo e ainda por cima, para cúmulo da tragédia, pagar todas as contas de todos os experimentos e propagandas homossexuais que são impostos a todos os brasileiros, desde crianças até velhinhos.
No Brasil de dona Dilma, você tem a obrigação de ser homossexual e de favorecer os viciados nessa prática. Qualquer tentativa de ajudar os viciados que querem ajuda encontrará forte resistência do governo socialista do Brasil que não quer aceitar que até a Rússia já mudou com relação ao supremacismo gay.

Tratamento psicológico para o vício homossexual?

Ao contrário do governo russo, que mobilizou todos os seus aliados para proibir a propaganda homossexual, o jornal esquerdista Folha de S. Paulo, em sua edição de 1 de julho, disse que o governo de Dilma está mobilizando todos os seus aliados para derrotar o PDC 234/11, que impede o Conselho Federal de Psicologia de punir seus profissionais que atenderem um paciente que quer abandonar as práticas homossexuais.
Se eu fosse psicólogo, claro que eu iria querer a liberdade de ajudar meus pacientes, especialmente com o carinho de Cristo. E se eu fosse o paciente, veria como ridícula a tentativa de me impedir de buscar ajuda.
Com essa mobilização, a mensagem do governo de Dilmônia é clara: “Quando a propaganda homossexual, financiada pelo meu governo, enfiar você no vício homossexual, você está proibido de buscar ajuda!”
A Rede Sustentabilidade, de Marina Silva, está de acordo com Dilmônia, tendo emitido comunicado público dizendo que espera que o PDC 234/11, de autoria do Dep. João Campos, seja derrubado.
Marina Silva, que é amante da Teologia da Libertação, tem o apoio da Rede Fale, mais conhecida como Boca de Abobrinha, por seu apego à ideologia esquerdista.

Pobre povo brasileiro

Parabéns ao povo russo, que está livre do terrorismo psicológico dos supremacistas homossexuais.
Pobre povo brasileiro, que cedo ou tarde será obrigado por Dilmônia e seus aliados a receber tratamento psicológico para adotar o vício homossexual. Se por revolta reagir e der um soco no representante do governo impondo o tratamento, será preso por “homofobia” e sua “agressão homofóbica” será usada como prova de que o vício homossexual merece mais ainda proteção especial e mais propaganda de desinformação do Estado.
Pobre povo brasileiro, está saindo às ruas para protestar contra os maus serviços públicos e o governo promete gastar mais em propaganda e serviços homossexuais.
Eu li hoje, na Bíblia, como Deus destruiu Sodoma. Mesmo com a intercessão de Abraão, Deus teve de destruir a cidade homossexual.
Antes da destruição do Brasil, Dilmônia e seus aliados querem primeiro torturar psicologicamente o povo brasileiro, até se entregarem todos aos vícios e estupros homossexuais.
Se está cada vez mais difícil viver na República Federativa de Sodoma, faça como Ló.
Leitura recomendada:

Nenhum comentário:

Postar um comentário